O Motivo

Faça parte de “um grande projeto de vida”

112615_1934_Faapartede1.jpg

Amigas e amigos dos nossos Corações Valentes.

Quem me conhece sabe que tive um filho com uma severa e complexa cardiopatia congênita. Ele passou por três cirurgias de tórax; vários cateterismos, alguns combinados com procedimentos reparatórios; e centenas de exames variados e necessários.

Na maior parte dos vinte e cinco anos de vida dele,  busquei apoio para cuidar da saúde dele, pois não dispunha do necessário para fazer frente ao tratamento ideal para ele. Ao mesmo tempo, solicitava apoio para todas as pessoas cardiopatas congênitos, crianças ou adultos, já que a maioria deles estavam (e ainda estão) na mesma situação vivida por nós.

Infelizmente, meu filho se foi, e não posso mais fazer nada em favor dele. Entretanto, há milhares de crianças e adultos cardiopatas, a maioria com problemas congênitos (de nascença) semelhantes aos do meu filho e sinto que não posso abandoná-los. Claro que faço isso em memória de meu filho.

Como você sabe, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a cada mil nascimentos, oito a dez crianças nascem com uma cardiopatia complexa e, se não receberem tratamento cirúrgico adequado, não sobreviverão.

O Brasil está chegando perto de ter uma população formada por duzentos e dez milhões de habitantes. Desse total, cerca de vinte milhões de pessoas nasceram nos últimos dez anos.

Isso leva-nos à conclusão que existem cerca de duzentos e vinte e sete mil, setecentos e noventa e cinco cardiopatas congênitos graves (227.795), com menos de dez anos e, seguramente, só uma pequena parcela deles passou por tratamento adequado, geralmente, cirurgias de grande porte.

Isso, sem falar nos milhares já existentes. Muitos foram atendidos cirurgicamente, mas devido a várias circunstâncias, ainda carecem de tratamento intensivo para viver com qualidade de vida mínima. Foi o caso do meu filho, por exemplo, que passou a maior parte dos seus vinte e cinco anos confinado em casa e com grandes limitações.

Se a nossa população crescer na mesma proporção que tem crescido até aqui, e isso acontecerá, pois nossas autoridades dificilmente farão algo para diminuir esse crescimento, em mais dez anos, poderemos chegar a duzentos e cinquenta milhões de habitantes. Isso equivale dizer que, teremos quatrocentos e oitenta mil novos (480.000) cardiopatas congênitos para atender, até 2020.

O serviço público de saúde, somado à rede particular, não tem capacidade para atender nem dez por cento da demanda atual e essa possibilidade será menor no futuro, caso as nossas políticas públicas de saúde não passem por mudanças radicais.

O atendimento necessário a essa população é caríssimo e o foco está voltado para outras áreas, consideradas “prioritárias”. NO Brasil, nos últimos cinquenta anos, só foi criado um grande centro de referência nessa área e é o único com capacidade para dar um atendimento correto, se bem que, quando comparado aos grandes centros mundiais, está em grande defasagem.

Nos Estados Unidos e na Europa Ocidental a situação só melhorou com a providencial e eficaz ajuda da iniciativa privada, em especial, das organizações sem fins lucrativos específicas.

A pergunta que não quer calar é: Estamos preparados para enfrentar a demanda atual (duzentos e vinte e sete mil, setecentos e noventa e cinco crianças e milhares de adultos) de cardiopatas congênitos necessitados de tratamento (cirúrgico na maioria dos casos) em todas as fases?

E quanto ao futuro, estaremos preparados para atender a demanda (quatrocentos e oitenta mil novos casos) como ela precisará? Ou vamos esperar o incêndio começar para depois ver como é que fica?

Infelizmente, mais de oitenta por cento dessa população de cardiopatas congênitos é pobre e sem qualquer apoio na área da saúde. Não existe uma Bolsa Saúde, um seguro saúde ou algo parecido, ainda. Os planos de saúde particulares esquivam-se em incluir os cardiopatas congênitos entre seus clientes.

O Projeto Coração Valente pretende fazer a diferença nessa área e você pode ser parte dele. Faça parte desse grande projeto de vida e comece a participar desde já.

Registre-se nesse site e faça uma contribuição emergencial para a produção de 6.500 cartilhas com as primeiras orientações que os pais dessas crianças precisam receber para iniciar o tratamento de seus filhos cardiopatas (R$ 40,00 é valor sugerido) através dos meios indicados clicando na aba contribua. Infelizmente, há muito a fazer e essas pessoas não podem esperar.

Deus o abençoe abundantemente

Lou Mello

Pai de um cardiopata congênito

PS: Existem mais de 300.000 cardiopatas congênitos no nosso país, dos quais, a maioria depende apenas do serviço de saúde pública para serem atendidos. Você pode melhorar isso unindo-se aos Bravos Corações agora, cadastrando-se para se tornar um dos nossos doadores do e fazendo agora uma doação para o apoio dos cardiopatas congênitos (R$ 40,00, valor sugerido).

Se desejar mais informações sobre o Projeto Coração Valente, utilize a aba contato, clicando nela.

CV_LOGOANI